segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Carnaval: Sobreviventes contam como escaparam do incêndio na Cidade do Samba

Integrantes das escolas de samba que tiveram seus carros e fantasias queimados pelo grave incêndio na manhã desta segunda-feira, no Rio de Janeiro, falaram ao eBand sobre os momentos de medo que viveram. Eles acompanharam de perto o temor de morrerem sufocados ou queimados e agora vivem os difíceis momentos de ver tudo destruído.

Com a voz embargada, o artista plástico da União da Ilha, Adson Amazonas, comenta que tudo foi destruído, inclusive sete carros alegóricos que já estavam totalmente concluídos. “Não sobrou nada. Foi tudo destruído”.

Ele comenta que estava dormindo quando o incêndio teve início. “Acordei ouvindo gritos. Achei que fosse alguma confusão, mas depois vi que era incêndio e que o piso já estava rachado pelo fogo”. Ele estava no segundo andar do prédio e tentou escapar imediatamente, mas logo os cômodos foram tomados pela fumaça. “Não consegui ver nada. Em pouco tempo estava tudo escuro”.

O artista plástico explica que se salvou apenas porque estava com o seu aparelho celular. “Usei a luz do telefone para iluminar o caminho. Então consegui enxergar os degraus e saí na hora”.

Grande Rio
O chefe de ateliê da Grande Rio, Robson Pantoja, informou que sete pessoas estavam no barracão da escola, no momento do incêndio, mas que todos se salvaram. O caso mais dramático foi de um dos integrantes da escola, que estava no quarto andar.

“Ele não conseguiu descer pelas escadas, porque o fogo e a fumaça tinham tomado conta de tudo. Só era possível sair pela janela”. Segundo Pantoja, ele se jogou sobre um dos carros alegóricos para se salvar. “Felizmente, os carros eram forrados de espuma, isopor, então ele conseguiu se salvar. Não sofreu ferimentos graves”.

Pantoja diz que a destruição foi total no barracão, mas que a escola vai se reerguer. “Foi um trabalho de meses, artesanal. Isso não se faz de um dia para o outro. Mas a gente vai ter de dar a volta por cima”.

Incêndio
Ao menos quatro barracões foram consumidos pelo incêndio. Parte da estrutura do local cedeu com as fortes chamas. Os barracões das escolas União da Ilha, Portela e Grande Rio são os mais prejudicados. O fogo teria começado no galpão da Liga das Escolas de Samba.

Carros do Corpo de Bombeiros foram enviados ao local e tentam controlar o incêndio. Homens da Polícia Militar isolaram o entorno do edifício.

Nenhum comentário:

Postar um comentário