sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Oscar 2011: Confira os palpites para a premiação deste domingo

A 83ª cerimônia do Oscar acontece neste domingo (27/2) e será transmitida ao vivo para o mundo inteiro. O Cineclick realizará a cobertura ao vivo do evento. Para entrar no clima de bolão, o crítico Heitor Augusto dá seus palpites para cada categoria.

Caso você tenha esquecido todos indicados,
aqui está a lista completa. Se quiser relembrar trechos dos filmes, assista aos trailers dos concorrentes na TV Cineclick. Criamos também uma ferramenta para o nosso leitor fazer seu próprio bolão. Os internautas que seguem o Cineclick pelo Twitter também podem acompanhar nossas notícias pelo microblog, tanto pelo computador quanto pelo celular. Quem curte a nossa fan page no Facebook também pode ficar por dentro das novidades.


Confira o "chutômetro" para o Oscar 2011:


Filme

Ou
O Discurso do Rei ou A Rede Social. Antes de o escritor Christopher Hitchens espinafrar a falta de acuidade histórica da produção britânica em relação ao apoio da família real aos nazistas, apostaria nela cegamente. Agora, com os dois artigos ácidos, fico na dúvida. Arrisco no longa de David Fincher já que há 20 anos nenhuma produção ganhou o Oscar de Melhor Filme sem ser premiada também pelo Sindicato dos Editores.

Direção

Nos últimos vinte anos, por cinco vezes o Oscar de Melhor Direção não acompanhou o voto de Filme. Acho que na cerimônia de 2011 isto deve acontecer pela sexta vez. Aposto que Tom Hooper ganha como diretor e
A Rede Social como filme.

Ator

Colin Firth, pois: 1) ganhou as principais prévias (como o prêmio do SAG, o sindicato dos atores); 2) a interpretação dos atores é o principal atrativo em um filme burocrático como
O Discurso do Rei. Meu preferido é Javier Bardem em Biutiful, já que o espanhol carrega o filme nas costas.

Ator Coadjuvante

Christian Bale, que assim como Firth ganhou o SAG. Bale merece este Oscar de lavada pela habilidade em se transformar inteiramente em outra pessoa, o ex-boxeador e viciado em crack Dick Eklund de
O Vencedor, e nos fazer esquecer de seu tipo Bruce Wayne.

Atriz Coadjuvante

Grande dúvida! Ou a princesinha perturbada de
Cisne Negro ou mãe de família de Minhas Mães e Meu Pai. Como o filme de Aronofsky não deve levar muitos prêmios (meu palpite), então Natalie Portman ganha, parte por consolação, parte por merecimento. Annette Benning deve ficar apenas com a quarta indicação de sua carreira.

Atriz Coadjuvante

Vira e mexe uma criança ou adolescente é indicada, mas não leva. Ou seja, apesar do furor (exagerado) em torno de Hailee Steinfeld (
Bravura Indômita), a estatueta deve ir para uma das personagens inquietantes de O Vencedor: ou Amy Adams, que vive a namorada do protagonista, ou Melissa Leo, sua disfuncional mãe. Palpite: Melissa ganha o primeiro Oscar de sua carreira.

Roteiro Adaptado

O trabalho de Aaron Sorkin para
A Rede Social, repleto de escolhas que contrariam a bíblia de Syd Field, deve ganhar o merecido Oscar. Porém, não seria injusta uma estatueta para Inverno da Alma, que tem no roteiro seu trunfo.

Roteiro Original

Meu palpite é para
A Origem, já escolhido na conturbada premiação do WGA, o sindicato dos roteiristas. Mas faço lobby permanente por O Vencedor, filme da fênix David O. Russell, que só deve levar mesmo o Oscar de Ator Coadjuvante para Christian Bale.

Animação

Toy Story 3
, de olhos fechados, apesar de meu preferido ser o francês O Mágico e Como Treinar Seu Dragão ter vários méritos.

Direção de Arte

Como na cabeça dos votantes da Academia opera-se a equação Direção de Arte = Filme de época, o trabalho dos sete membros do time de Arte de
O Discurso do Rei deve ser reconhecido.

Fotografia

Outra categoria que os votantes são conservadores, privilegiando, novamente, produções de época, ambientações exóticas ou histórias fantásticas. Assim, arrisco
Bravura Indômita, do fotógrafo Roger Deakins, mas não me surpreenderia se o trabalho de Wally Pfister para A Origem vencesse.

Figurino

Talvez um prêmio de consolação para Tim Burton, cujos filmes capricham muito na tríade figurino-maquiagem-arte. Como nos últimos dez anos, a Academia só escolheu filme de época ou musical, coloco
Alice No País das Maravilhas como forte candidato, tendo O Discurso do Rei na cola.

Documentário

Categoria em aberto, já que os temas dos filmes – algo que os votantes levam muito em consideração –, são igualmente relevantes. Creio na vitória do bom
Restrepo, sobre um pelotão do Exército dos EUA no Afeganistão. Apesar de ótimo, Exit Through the Gift Shop é radical para a Academia, e Lixo Extraordinário, história de superação no Rio de Janeiro, é de uma realidade distante a eles.

Documentário em curta-metragem

Este crítico não assistiu a todos os indicados.


Montagem

Prêmio para
A Rede Social, editado por Angus Wall and Kirk Baxter. Cisne Negro (Andrew Weisblum) também é uma possibilidade, assim como os maneirismos exagerados de 127 Horas (Jon Harris).

Filme em Língua Estrangeira

Apesar do Globo de Ouro para
Em Um Mundo Melhor, não tiro Biutiful, de Alejandro González Iñárritu da briga. Palpito no filme da dinamarquesa Susanne Bier, apesar de meu favorito ser o canadense Incêndios.

Maquiagem

Sem mais delongas,
O Lobisomem.

Trilha Sonora

Dos cinco indicados, considero que o trabalho mais difícil de ser criado é o de
A Rede Social, já que os outros filmes trabalham com temas ou gêneros largamente explorados. No caso do filme de Fincher, cuja trilha foi escrita por Trent Reznor e Atticus Ross, corria-se o risco de cair no clichê de representação sonora da tecnologia, mas os compositores escaparam habilmente.

Canção Original

Aqui é um verdadeiro chute:
We Belong Together, de Toy Story 3, pelo que a canção representa na história de Woddy e Andy.

Animação em curta-metragem

Este crítico não assistiu a todos os indicados.


Curta-metragem

Este crítico não assistiu a todos os indicados.


Edição de Som

A Origem
, não só porque ganhou o prêmio da Sociedade dos Editores de Som, mas se trata do trabalho mais criativo trabalho. Apesar de Incontrolável, de Tony Scott, ser enfadonho, não seria injusto o prêmio de Edição de Som a esta produção.

Mixagem

Repito a justificativa e arrisco em
A Origem.

Efeitos Visuais

Na única categoria que
Além da Vida, de Clint Eastwood, foi indicado ao Oscar, seria injusto não premiar A Origem. Mas pode pintar um prêmio de consolação ou a Alice no País das Maravilhas ou a Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte I.

Nenhum comentário:

Postar um comentário