segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Saúde: Ministro da Saúde faz alerta geral contra a dengue

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, durante caminhada contra a dengue no Rio, ontem, afirmou que há risco real de epidemia da doença no País e que é preciso se antecipar ao surto. “Temos um resultado positivo neste ano, com redução de 56% nas notificações de dengue no Brasil, mas isso não significa que reduzimos o risco real de epidemia”, disse Padilha.

A campanha de mobilização reuniu no Rio associações de catadores e de reciclagem, líderes comunitários e profissionais de limpeza urbana. Segundo o ministro, a ação está percorrendo 16 estados que apresentam alto risco de dengue. Padilha ressaltou a importância da participação da sociedade, já que o mosquito transmissor “tem se adaptado ao dia a dia da população”.

Casos
Desde o início do ano, o Paraná já registrou 390 casos confirmados da doença, sendo 375 autóctones (contraídos dentro do território paranaense). Há 3.484 casos suspeitos. Novo boletim atualizado com dados da doença será divulgado hoje. No ano passado, 15 paranaenses morreram por causa de complicações da dengue.

Na semana passada, o secretário da Saúde, Michele Caputo Neto, anunciou a liberação de R$ 351 mil para investimentos direcionados para o controle da dengue na região norte do Paraná, com contratação de profissionais, além da liberação de equipamentos como pulverizadores costais e kits de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Outras cidades em estado de atenção à doença são Alvorada do Sul, Bela Vista do Paraíso, Cafeara, Florestópolis, Ibiporã, Jaguapitã, Jataizinho, Porecatu e Sertanópolis.

Mortes suspeitas

Em Londrina, a Secretaria Municipal de Saúde está intensificando ações de limpeza e retirada de lixo de material reciclável. As autoridades investigam a morte de três pacientes por suspeita de dengue. Se confirmados, serão os primeiros casos de óbito pela doença neste ano no Estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário