quarta-feira, 16 de março de 2011

Mito ou Verdade?: Encontrada a Atlântida, continente perdido?

Uma equipa de investigação norte-americana pode ter finalmente encontrado a Atlântida, informa a agência Reuters. “A lendária metrópole”, que se acredita ter sido levada por um tsunami há milhares de anos, nos baixios lamacentos do sul de Espanha, vem ao de cima numa altura em que a devastação provocada pelo terramoto no Japão mostra o poder da natureza frente à civilização."

Richard Freud, da Universidade de Hartford, líder da equipa que investiga esta matéria, destacou à agência Reuters “o poder dos tsunamis”, explicando que existe verdadeiramente uma grande dificuldade em compreender como estes fenómenos conseguem arrasar com áreas de 100 quilómetros costa adentro. Freund faz parte de um grupo de investigadores internacionais que já há alguns anos procura o local verdadeiro da cidade perdida.

A equipa usou fotografias de satélite e, num pouco a norte de Cádis, em Espanha, no pantanal do Parque Dona Ana, acreditam ter encontrado o multi-nivelado domínio conhecido por “Atlantis”. Nos últimos anos, este grupo de geólogos e arqueólogos usou uma combinação de radares soterrados, mapeamentos digitais e tecnologias submarinas para sondar o local.

Freund acrescentou que o que deu confiança aos investigadores foi a descoberta de várias cidades “memoriais” em Espanha, construídas, à imagem da Atlântida, pelos refugiados que sobreviveram ao tsunami que a submergiu. O especialista acredita que os habitantes da ilha fugiram para terra e lá construíram as novas cidades.

O debate sobre a existência da Atlântida já dura há milhares de anos. O único documento que refere esta mítica cidade foi escrito por Platão, nos seus “Diálogos” de 360 A.C. Uma velha lenda açoriana, inspirada nos escritos de Platão, narra que o arquipélago português é formado pelos cumes montanhosos que subsistiram acima do nível do mar após a submersão da Atlântida, embora a distância de Ponta Delgada a Cádis chegue a quase dois mil quilómetros.

A equipa de Richard Freund não arrisca ir tão longe na especulação. Diz simplesmente que agora há mais “credibilidade” naquilo que encontraram e acreditam que o terramoto de 1755, que provocou em Lisboa um tsunami de 10 metros de altura, é mais uma prova da probabilidade da ocorrência da submersão do “continente perdido”ao largo de Espanha.

Este domingo, 20 de Março, estreia no canal “National Geographic” o documentário “Finding Atlantis”, que promete revelar os achados desta equipa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário