sábado, 27 de agosto de 2011

Mundo: Furacão Irene atinge os Estados Unidos e deixa mortos (G1)

O furacão Irene atingiu a costa leste dos Estados Unidos na manhã deste sábado (27) e causou a morte de ao menos nove pessoas, cancelamento de voos, fechamento de aeroportos e inundações, além de deixar mais de 1 milhão de americanos sem energia elétrica.  Classificado como de categoria 1 (de menor intensidade, em uma escala que vai até 5), o fenômeno tem ventos que atingem a velocidade de 140 km/h, de acordo com o Centro Nacional de Furacões (NHC, sigla em inglês) dos EUA. O Irene, no entanto, vem perdendo força e deve chegar a Nova York, neste domingo (28), enfraquecido.

Por causa do furacão, autoridades determinaram o fechamento dos aeroportos de Nova York a partir das 22h deste sábado (23h em Brasília). A decisão afeta os aeroportos de La Guardia, John F. Kennedy International e Newark. Até a noite deste sábado, mais de 6 mil voos tinham sido cancelados em todo o país. O serviço de transporte público de Nova York também foi prejudicado, com a interrupção do funcionamento do metrô e da circulação de ônibus.

No Brasil, a TAM confirmou o cancelamento de três vôos que iriam para Nova York e um que voltaria da cidade norte-americana para o país. Quatro vôos programados para este domingo (29) estão suspensos. A companhias Delta e American Airlines também cancelaram voos deste sábado e do domingo.

O estado da Carolina do Norte foi o primeiro a ser atingido pelo Irene nos Estados Unidos. Além de Nova York, Virgínia e Maryland também estão na rota do furacão.
Dois homens usam botem para circular por via alagada na Carolina do Norte durante passagem do furacão Irene pelo estado (Foto: John Bazemore/AP)
Dois homens usam botem para circular por via alagada na Carolina do Norte durante passagem do furacão Irene pelo estado (Foto: John Bazemore/AP)

Mortes
Até a noite deste sábado, somente nos Estados Unidos, o furacão causou a morte de, pelo menos, nove pessoas. Outras seis morreram no Caribe durante a passagem do Irene dias antes.


No estado da Carolina do Norte, onde o Irene tocou a terra às 7h30 do horário local (8h30 de Brasília), ao menos cinco pessoas morreram por causa do furacão. A primeira vítima foi um homem do condado de Nash County. Um galho de uma árvore de grande porte caiu sobre ele, enquanto a vítima caminhava do lado de fora de sua casa. No momento do acidente, os ventos na região alcançavam mais de 100 km/h.

A outra vítima, de acordo com a Divisão de Gerenciamento de Emergências, foi um homem não identificado de Onslow County, que sofreu um ataque cardíaco enquanto colocava placas de madeira sobre as janelas de sua casa. A terceira pessoa que morreu na Carolina do Norte foi vítima de um acidente de trânsito no condado de Pitt.

Segundo a rede de TV americana CNN, ainda na Carolina do Norte, uma árvore caiu sobre um carro, matando uma pessoa. A outra vítima no estado foi uma criança, que morreu após o carro em que ela estava ser atingido por outro em um cruzamento em que os semáforos não funcionavam.

No estado da Virgínia, o furacão fez três vítimas, entre elas, um garoto de 11 anos que morreu após uma árvore cair no apartamento onde ele morava. O acidente aconteceu na tarde deste sábado.

Às 22h20 deste sábado, a rede de TV americana CNN afirmava que as outras duas pessoas que morreram na Virgínia também foram vítimas de acidentes com árvores. A nona vítima é um surfista de 55 anos que morreu após sofrer um ferimento durante as fortes ondas causadas pelo Irene no mar da Flórida.
Pessoas caminham por Nags Head, no litoral da Carolina do Norte, mesmo com os efeitos do furacão Irene (Foto: AP)
Pessoas caminham por Nags Head, no litoral da Carolina do Norte, mesmo com os efeitos do furacão Irene (Foto: AP)
 
Emergência
Ao todo, sete estados dos EUA estão em emergência. Cerca de 2 milhões de pessoas foram orientadas a sair de casa, entre elas, o presidente norte-americano, Barack Obama, que interrompeu as férias na região neste sábado e
se deslocou à sede da Agência Federal para a Gestão de Emergências (Fema) para acompanhar a passagem do furacão Irene.
 

Ressaca 'extremanete' perigosaEste é o primeiro ciclone que chega ao território dos EUA desde 2008, quando Ike tocou a terra em Galveston, no Texas. O Irene começou a dar seus primeiros sinais ainda nesta sexta-feira (26), quando o litoral da Carolina do Norte foi atingido por fortes ventos, chuvas torrenciais e ressaca.

Os meteorologistas recomendaram aos moradores que tomassem precauções porque a passagem do Irene causará ressaca extremamente perigosa, que deve elevar o nível de água entre dois e três metros acima da média.

Segundo o instituto, o Irene chegou a alcançar, nesta sexta, o nível 3 na escala Saffir-Simpson, com ventos a uma velocidade de 170 km/h, e chegou a possuir a mesma categoria do Katrina, o furacão que devastou Nova Orleans em 2005, deixando 1,7 mil mortos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário